23/07/2014 11:01:24 Produtos ADVFN
Fale Conosco
Cadastro Gratis Login

Companhia Vale do Rio Doce:Segmentos de atuação

De Wiki Financeiro ADVFN
Ir para: navegação, pesquisa

Conteúdo

Minerais ferrosos

Em 2005 a produção de minério de ferro da Vale atingiu um novo recorde de 240,4 milhões de toneladas, 10,3% acima do volume produzido em 2004. Entre 2001 e 2005, a produção da companhia cresceu à taxa média anual de 15%. Contribuiram para esse resultado a entrada em operação da mina de Fábrica Nova no Sistema Sul, ramp-up de Capão Xavier, expansão de capacidade de Carajás e ganhos de produtividade em quase todas as demais minas. Em 2005 a produção de pelotas foi de 36,376 milhões de toneladas, 2,2% acima do volume de 2004. Foram produzidas 22,8 milhões de toneladas de pelotas de alto-forno e 13,6 milhões de toneladas de pelotas de redução direta.

Em 2005, fechou o preço benchmark com a Nippon Steel, uma das maiores siderúrgicas da Ásia, com aumento de 71,5% para o sinter feed Carajás em relação ao preço de 2004, o que corresponde ao maior reajuste da história. Já o preço FOB-Tubarão de pelotas subiu 86,67%, e para o minério de ferro granulado o aumento foi de 79%.

As vendas de minério de ferro e pelotas bateram recorde em 2005, com 252,189 milhões de toneladas.

A cadeia do alumínio: bauxita, alumina, e alumínio primário

A produção da cadeia do alumínio em 2005 foi de 6,9 milhões de toneladas de bauxita, 2,6 milhões de toneladas de alumina e 496 mil toneladas de alumínio primário, níveis recordes.

Está em desenvolvimento a mina de bauxita de Paragominas, no Estado do Pará, cujo início de produção ocorreu no primeiro trimestre de 2007.

Após a entrada em operação de seus módulos 4 e 5, inaugurados no primeiro trimestre de 2006, a Alunorte se tornou na maior refinaria de alumina do mundo.


Minerais não ferrosos

Em 2005 a Vale inaugurou sua atuação na indústria de concentrado de cobre (o primeiro ano completo de operação da Mina do Sossego) e já conta com 13 clientes, situados em 11 diferentes países.

Foram iniciadas as obras da usina hidrometalúrgica de Carajás, com capacidade de 10 mil toneladas anuais de cobre catodo. Construída junto à Mina do Sossego, objetiva testar a tecnologia da rota hidrometalúrgica para o processamento do minério de cobre, com vistas a processar, no futuro, o minério a ser produzido pelos depósitos do Salobo e Alemão.

A produção de cloreto de potássio, matéria-prima da indústria de fertilizantes, foi de 641 mil toneladas, outro recorde histórico, e suas vendas foram de 640 mil toneladas.

A produção de total caulim, em 2005, foi de 1,218 milhão de toneladas.


Carvão

A Vale associou-se à Henan Longyu Energy Resources Ltda. (Longyu), empresa localizada na China e da qual a companhia possui 25% do capital, em associação com empresas chinesas.

Em 2006, chegou ao terminal de Praia Mole, em Vitória (Espírito Santo), o primeiro carregamento de carvão antracito, de 40 mil toneladas produzido pela Longyu.

A Vale adquiriu 25% do capital da Shandong Yankuang International Coking Co., associação com o Yankuang Group Co. e Itochu Corporation, para a produção de coque metalúrgico.

A Vale pesquisa ainda dois depósitos de carvão: o depósito de Moatize, em Moçambique, onde estima ser possível produzir 14 milhões de toneladas de produtos carvão metalúrgico e o depósito de carvão subterrâneo Belvedere, em Queensland, Austrália, com reservas estimadas em 2,7 bilhões de toneladas.


Serviços de logística

A Vale é a principal fornecedora de serviços de logística no Brasil, sendo responsável por 68% da movimentação de cargas em ferrovias e 27% da movimentação portuária.

Em 2005 movimentou 10,7 milhões de toneladas de soja em grãos, farelo de soja, açúcar, fertilizantes e outros produtos.

A Vale foi responsável pela movimentação, incluindo transporte ferroviário e serviços portuários, de 18% das exportações brasileiras de soja e por 9% da movimentação na importação de fertilizantes.

A companhia foi a principal empresa no transporte marítimo de carga entre Brasil e Argentina em 2005.

A Vale investiu 1,8 bilhão de reais em 2005 na sua infra-estrutura de logística, tendo adquirido 5.414 vagões e 125 locomotivas para utilização no transporte de seus produtos e de carga geral para clientes na Estrada de Ferro Carajás ­- EFC, Estrada de Ferro Vitória a Minas -­ EFVM e Ferrovia Centro-Atlântica - ­FCA. Existe também o TVV - Terminal Marítimo de Vila Velha no Espírito Santo.

Recentemente adquiriu a concessão para exploração da Ferrovia Norte-Sul, que interliga-se com a Estrada de Ferro Carajás, seguindo em direção ao centro-oeste do Brasil.

Voltar a página principal da Vale
Ferramentas pessoais
Espaços nominais

Variantes
Ações
Navegação
ADVFN
Ferramentas